NOTÍCIA

A história do Seu Chico e da D. Chiquinha é exemplo de aposentadoria para rurais

Eu gosto de compartilhar com quem me acompanha as histórias da vida real que passam por mim e que sei bem que servem de exemplo para muitas outras histórias. Vou contar aqui uma situação que veio ao meu conhecimento nos últimos dias. Esse pode ser seu caso!

 

Recentemente, recebi um e-mail com uma dúvida que chamou minha atenção. O Sr. Francisco Antônio – Seu Chico, lá de Rolim de Moura (Rondônia), me perguntou: “Posso arrumar uma aposentadoria pra minha véia?”. Claro, que o carinho e a preocupação empregados àquelas palavras chamaram minha atenção. Como de costume, respondi pedindo mais algumas informações para assim conseguir dar a orientação de forma correta e precisa.

 

Perguntei o que faziam. A resposta veio rapidamente. Ele explicou que o casal tem uma pequena propriedade rural, são sitiantes. Pessoas de famílias nessa situação são consideradas segurados especiais.

 

Mas o detalhe da história é que ele está aposentado por idade. A esposa dele, a Dona Chiquinha, que carinhosamente ele a chamou de “véia”, também já tem idade para se aposentar, no entanto, nunca contribuiu para o INSS.

 

Neste caso, eles são segurados especiais. Como o Seu Chico já conseguiu a própria aposentadoria, toda a documentação usada para o pedido dele também serve para dar entrada no pedido da Dona Chiquinha.

 

A gente sabe que no passado a documentação desses trabalhadores que atuavam na roça era feita com dados apenas do marido. Tem situações em que para a esposa escreviam que era doméstica, mas a gente sabe que o casal acaba trabalhando junto na roça. E foi exatamente o que aconteceu com a Dona Chiquinha.

 

Minha sugestão então foi que pegassem a cópia do processo dele para instruir o processo dela, já que a Previdência aceita os documentos do marido (de família rural) como prova do trabalho da esposa.

 

Não deu certo! O INSS negou o benefício. Mas ele me mandou outro e-mail recentemente contando que ele entrou na justiça e o juíz mandou que o INSS aceitasse a documentação do Seu Chico como prova do tempo de serviço da Dona Chiquinha.

 

Poderia se estender também para os filhos e todas as pessoas da família que trabalharam na propriedade rural. Aí veio outra duvida dele: “Eu posso usar a mesma situação para o meu irmão que trabalhou comigo?”.

 

Claro, pode sim, foi minha resposta.

 

Ele tem a documentação do sindicato que prova que eles trabalhavam juntos.

 

Eu não sei o que vai acontecer neste caso, mas é possível que eles consigam o mesmo benefício. Vamos ver o que ele me conta daqui um tempo!

 

Esse e-mail do “Seu Chico” foi mesmo emocionante. No final das contas, família que trabalha unida aposenta tudo junto.

 


Me conte sua história!


 


Aqui no meu site tem a página de contato. Acesse!


 

https://www.aposentfacil.com.br/contato.php

Aposentfácil 2020 - Todos os direitos reservados. Desenvolvido por: TECLABS