NOTÍCIA

Você sabe quanto tempo falta para a sua aposentadoria?

Depois de mais de dois meses de isolamento e da correria em busca do auxílio emergencial, as contas para saber quando vai se aposentar volta a ser o foco do contribuinte. E, muitos trabalhadores estão aproveitando o isolamento para saber quanto tempo ainda resta até a aposentadoria. Aí surgem várias dúvidas. Este período de permanência em casa pode ser usado a seu favor. Aproveite para organizar sua vida previdenciária.

 

Somatória do tempo de MEI com outros períodos

Entenda através deste exemplo: Um microempreendedor individual perguntou se é possível somar às contribuições de MEI aquelas que ele já fez como empregado anotado na CTPS e as que pagou por conta própria nos carnês do INSS. A resposta é que elas sempre são somadas. O que muda são os benefícios e os valores deles. O contribuinte pode somar e ter os mesmos direitos que tinha antes de ser MEI se houver a complementação das contribuições para 20%.

Se a contribuição é a de 5% o contribuinte perde direito à aposentadoria por tempo de contribuição e o valor do benefício será de um salário mínimo. Com a complementação o MEI pode garantir os mesmos benefícios e até contribuir pelo teto da Previdência. Isso depende de planejamento.

 

Desistência da aposentadoria

Outro exemplo: Uma enfermeira disse que ficou frustrada com o valor da aposentadoria e quer saber se pode desistir. A resposta é que o trabalhador pode desistir do benefício se não receber a aposentadoria, não sacar o FGTS e o PIS-PASEP, nem fizer empréstimo consignado. A dica em casos como este é fazer cálculos para saber quando o benefício terá valor maior e quanto o trabalhador deixará de ganhar até chegar nesta data. Às vezes não vale a pena esperar.

 

Na hora da aposentadoria o INSS não computou o tempo

Em outra situação: Um vendedor autônomo disse que o tempo de serviço dele estava certinho no Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS), mas na hora da aposentadoria o INSS não computou alguns períodos. No rodapé do CNIS está escrito assim: “O INSS poderá rever a qualquer tempo as informações constantes deste extrato”. Eu já vi isso acontecer em um monte de casos. Estava tudo certo, mas na ‘hora H’ tudo mudou. A dica para resolver esta questão é analisar a documentação, período por período, contribuição por contribuição. O CNIS pode servir de base, mas não a solução. O pior de tudo é que no novo site do INSS, já com as alterações que aconteceram recentemente, na simulação da aposentadoria sai escrito assim: “Ao solicitar o benefício, o INSS pode pedir que você apresente documentos para comprovação dos períodos trabalhados/contribuídos.” Então é bom aproveitar este tempo de isolamento social e arrumar os documentos.

 

Tags: INSS, aposentadoria, Previdência Social

Aposentfácil 2020 - Todos os direitos reservados. Desenvolvido por: TECLABS